Marrakech no melhor estilo sexy and The City - Jornalista a Bordo
15
mar/2017
Marrakech no melhor estilo sexy and The City

E por falar em casamento, já planejou o destino da sua lua de mel? Para as novinhas românticas, que sonham viver momentos de rainha no melhor estilo Carrie Bradshaw, protagonista do filme Sex and the City, o destino tem nome: Marrocos, mais precisamente no hotel Taj Palace Marrakech, lugar onde foi gravado as cenas do filme Sex and The City.

Sem dúvida, a experiência mais imponente, exótica e luxuosa que já vivenciei. Ao chegar no hotel, nossas bagagens foram escaneadas rigorosamente por um detector de metal, confesso que a princípio fiquei assustada, mas uma senhorinha super amável vendo meu olhar tenso e paralisado, abriu um largo sorriso e explicou que aquele era um protocolo natural, em outras palavras, ela quis dizer que era o passaporte para o paraíso, já que ali estavam hospedados as maiores autoridades do Marrocos, com um sorriso amarelo mantive a naturalidade e fingir que era da casa (risos).

Mas aquilo não foi nada, diante do que nos aguardávamos, um mordomo para desfazer e arrumar as malas, um banquete real preparado na suíte do quarto, a surpresa só não foi maior do que o tamanho da Suíte Royal, duas vezes maior do que a minha casa, um Closet de deixar qualquer mulher alucinada, arquitetura assinada pelo designer Stuart Church, conhecido por decorar os hotéis-palácio na Índia. Impressionado? Bem… não é todo dia que ouvimos histórias e nos hospedamos em um lugar como esse. No meu caso, o motivo era especial, estava comemorando 10 anos de casados e foi a surpresa mais romântica, autêntica e especial que ganhei do meu marido.

Sem falar que Marrakech é uma cidade encantadora. Impossível não se apaixonar pela sua vibração, por suas paredes quase cor de rosa, pelos aromas das especiarias, pelo sorriso cativante do povo e pela sua história. Dá para conhecer os seus principais pontos turísticos em apenas 2 dias ou 3 dias, mas para que seu coração também fique cor de rosa, recomendo ficar mais tempo. Assim, dará para voltar naquele souk que você achou interessante, comprar a especiaria que você esqueceu, tomar aquele drink num hotel badalado ou mesmo conhecer mais sobre a culinária marroquina.
Diante de tantos becos, ruas interessantes, pequenos museus, jardins e mais um sem número de atrações em Marrakech, selecionei alguns passeios e curiosidades imperdíveis que marcaram os meus dias na cidade.
Religião: No Marrocos, religião é peça-chave nesse quebra-cabeça de tradições tão particulares. Predominantemente islâmica sunita, não recomendo a viagem no período do Ramadan (fala-se “ramadã), que é um feriado não fixo que se movimenta a cada ano e corresponde ao 9º mês do calendário lunar muçulmano. Neste mês os muçulmanos jejuam durante a luz do dia, como uma forma de se sacrificar e “sentir as necessidades dos outros”. É um período de se concentrar na fé e não nas preocupações cotidianas. Por isso, durante o Ramadan várias restrições são rigidamente feitas nas vidas diárias dos muçulmanos. Não é permitido comer (nem ao menos um chicletes) ou beber durante as horas que se tem luz do dia; fumar e manter relações sexuais, assim como qualquer contato físico para os mais ortodoxos. Ao término de cada dia esse jejum é finalizado com uma oração, água e tâmaras. À noite, é habitual que os muçulmanos saiam com a família para visitar amigos e familiares, comemorando cada jantar com muita fartura, em grandes festas. O jejum é retomado na manhã seguinte, antes do sol nascer.
Super bacanas as dicas não é? Eu amei saber de tudo isso, e vocês?!

Praça Jemaa El-Fna: A praça Jemaa El-Fna é o ponto turístico mais visitado de Marrakech. Conta a história que até o século XIX, a praça foi palco de decapitações! Por sorte, atualmente, é um lugar de muitas alegrias.
Você deve visitá-la em dois momentos. Durante o dia, para tomar um delicioso suco de laranja, comprar ervas, flores ou frutos secos a granel e se impressionar com os domadores de serpentes (cobras) e macacos. Se for tirar foto com algum deles, não esqueça de dar um trocado!! É o que eles esperam!

Jardim Majorelle: Para quem é apaixonado por moda e cultura o lugar é esse, o Jardim Majorelle. Majorelle, o falecido dono do lugar, expunha ali a sua impressionante coleção de árvores e plantas dos cinco que manteve-se vivo, após ter sido comprado e restaurando por Yves Saint Laurent.

 

Medina: Passear sem rumo pelas ruelas da Medina pode ser um bom começo para sentir como pulsa o coração da cidade. Medina em árabe significa cidade antiga, e por isso, aqui encontramos os segredos mais bem guardados de Marrakech

* A moeda local é o Dirham:
$ 1,00 = 8 a 9 Dirham
R$ 1,00 = 3,82 Dirha | Você pode trocar o seu dinheiro aqui no Brasil por Euros, e lá é só trocar por Dirham.

O que vestir ?
Roupas: recomenda-se as mulheres a não usar regatas e ter sempre uma pashimina em mãos, caso precise se cobrir para entrar em algum lugar. Podemos usar roupas curtas, porém em respeito, recomendo evitar o que for muito curto ou decotado.

Bebidas alcoólicas: Marrocos tem leis rígidas que regem a venda de bebidas alcoólicas, mas a maioria dos hotéis e restaurantes frequentados por turistas são autorizados a vender bebidas. No entanto, não se surpreenda se visitar bares ou restaurantes onde o alcoól é servido somente aos que estão na parte de dentro, e não para aqueles que se sentam em mesas ao ar livre. Durante o Ramadan principalmente, é imposto que os turistas não sejam vistos bebendo em público.

Souks: Os souks são os mercados de rua que ficam dentro da Medina, organizados segundo o tipo de produtos que são vendidos. Isso quer dizer que se você for no souk de couros, encontrará diversas vendas que comercializam couro. O mesmo acontecerá no de sapatos, tapetes, jóias, artigos em cobre, bronze ou prata, roupas, dentre outros. Há até mesmo um souk de tinturaria, onde tintureiros tingem fios naturais de lã e seda. É importante saber que os preços cobrados pelos vendedores não são tabelados, mesmo dentro de um mesmo souk. E fique atento pois eles sabem barganhar como ninguém. Então, antes de sair às compras, exercite o seu poder de barganha também!
Aula de culinária marroquina: Tire um turno para aprender a fazer um belo couscous marroquino, um carneiro suculento ou cozinhar numa tajine! Experiência incrível! Como meu marido ama cozinhar, esse foi um dos pontos altos da nossa viagem!
* Palavrinhas que você vai ouvir bastante:
Oi = Salam
Tchau = Ma’a salama
Desculpa = Aasef
Obrigado = Shokran
Por favor = min fudlika (masc.) ou min fudliki (fem.)
Sim = Na’am
Não = Laa
Bom dia = Sabah el kheer
Boa tarde = Masaa el kheer
Boa noite = Tosbeho/ tosbeheena (fem.)
Onde é o banheiro? = Ayna ajedu al merhaad?
Quanto isso custa? = Kam howa thamanoh?
Licença = Alma’derah
Feliz Ramadam = Ramadan mobarak!
Souk = Mercado

A religião no Marrocos é peça-chave nesse quebra-cabeça de tradições tão particulares. Predominantemente islâmica sunita vale a pena lembrar que vamos chegar no país em um momento muito especial e peculiar para os muçulmanos: o Ramadan (fala-se “ramadã), que é um feriado não fixo que se movimenta a cada ano e corresponde ao 9º mês do calendário lunar muçulmano. Neste mês os muçulmanos jejuam durante a luz do dia, como uma forma de se sacrificar e “sentir as necessidades dos outros”. É um período de se concentrar na fé e não nas preocupações cotidianas. Por isso, durante o Ramadan várias restrições são rigidamente feitas nas vidas diárias dos muçulmanos. Não é permitido comer (nem ao menos um chicletes) ou beber durante as horas que se tem luz do dia; fumar e manter relações sexuais, assim como qualquer contato físico para os mais ortodoxos. Ao término de cada dia esse jejum é finalizado com uma oração, água e tâmaras. À noite, é habitual que os muçulmanos saiam com a família para visitar amigos e familiares, comemorandose cada jantar com muita fartura, em grandes festas. O jejum é retomado na manhã seguinte, antes do sol nascer.
Super bacanas as dicas não é meninas?! Eu amei saber de tudo isso, e vocês?!




Carolina Felippi